Sambaro é cidadão português, e tem por isso mais portas abertas que muitos dos seus vizinhos.

A Lei da Nacionalidade – Lei nº 37/81, de 3 de Outubro – não confere automaticamente a nacionalidade portuguesa aos filhos de estrangeiros residentes em Portugal, dificultando o processo de integração social de milhares de jovens, imigrantes de segunda geração, concentrados sobretudo nas periferias das grandes cidades.

O pai de Sambaro está em Portugal há 23 anos e conseguiu a nacionalidade portuguesa. Para que Sambaro tivesse um futuro melhor, casou com Aminata na embaixada de Portugal na Guiné-Bissau.

Um trabalho de António Castelo.